Gralha, para além de ser a designação comum a várias espécies de aves da família Corvidæ –como a que estampa nossa logomarca–, também é o nome dado aos erros tipográficos– daí nosso “r” espelhado, a brincar com este outro significado.

Claro que não queremos ver erros em nossos livros; porém, falando da vida, os erros fazem parte dela, e errar, desviar, ensina-nos muito e nos torna melhores– a nós e, por que não, às muitas personagens que comporão as histórias que nossos livros vão contar.

Errar ainda pode significar vagar, andar sem destino ou pouso certo, e nos abrirmos à errância pode levar-nos aonde talvez sequer imaginássemos chegar– algo que a literatura sempre soube fazer, como se a nos puxar pelas mãos.

A Gralha Edições nasceu em 2020 com o objetivo de trazer literatura nacional e estrangeira de qualidade para seu público leitor. Nosso catálogo é composto por obras de poesia, prosa de ficção, ensaio e arte, contemporâneas e abertas à diversidade e ao experimentalismo.

Livros errados –e errantes– como a vida. De Minas Gerais para o mundo.


Nossos livros se distribuirão entre as seguintes coleções:

POIESIS (do grego: “ação de fazer, criação; poesia”)Poesia em língua portuguesa

FICTIO (do latim: “ação de modelar; ficção, invenção”): Ficção em língua portuguesa (conto, novela, romance, dramaturgia)

UBERSETZUNG (do alemão: “tradução, versão”, tomada aqui como uma singela homenagem a Walter Benjamin, autor de “A tarefa do tradutor”)Poesia e ficção traduzidas

ESSAI (do francês: “ação de testar; obra literária em prosa, de estilo livre, tratando de um assunto sem esgotá-lo ou reunindo artigos diversos”)Ensaio crítico e literário

ÆSTHETICA (neologismo criado por Baumgarten, no século XVIII, a partir do grego aisthesis: “perceptível pelos sentidos; sensação”)Livros de/sobre arte, fotografia, cinema e música

MEMORABILIA (do inglês, a partir do latim memorabilis: “objeto memorável ou digno de nota; lembrança”)Livros-objeto de poesia e ficção, sempre em tiragem única e numerada

LETRAS LÚDICAS (lúdico, do português, a partir do latim ludus: “relativo a jogo, divertimento, brinquedo”): Livros infantis e infanto-juvenis